Hannah

"Meu preço, querido? Reis e deuses não puderam pagá-lo. Mas talvez possamos abrir uma exceção. Diga-me, quanto você preza a sua alma?""

Description:

Hannah tem uma beleza perfeita e distante. Toda sua figura exala uma aura impecável. Seus cabelos loiros são lisos e acabam em cachos perfeitamente anelados. Sua expressão é angelical, seus sorrisos são brilhantes (mas frios), seus olhos verdes são confiáveis e inocentes.

No entanto, um observador mais astuto percebe que a beleza de Hannah é, na verdade, ameaçadora. Como uma planta carnívora, perfeita e estática, a espera de sua próxima presa.

Bio:

Hannah é uma clone de Loreen, a filha de Alicia Vocarin e Keriann, o Herossarin. Ela foi criada como parte de um ritual feito por Kukuru para criar um recipiente para o Acaso. O ritual consistia em 16 clones, cada qual representando uma força primordial. Ao final, quinze seriam sacrificadas e uma seria o recipiente. Hannah representava a Magia.

Ela foi criada por um casal de camponeses. O mago da vila, que era na verdade um enviado de Kukuro e da Deusa do Conhecimento, era seu tutor. Ele lhe ensinava línguas, teoria da magia, alquimia, conhecimento arcano, preparando-a para ingressar em uma universidade. Porém, aos treze anos, Hannah demonstrou habilidades mágicas, se mostrando uma feiticeira. A família de Hannah revelou a ela sobre sua adoção e ela saiu para catar lenha e refletir. Quando retornou à vila, todos estavam mortos. Hannnah roubou uma mochila e alguns equipamentos do mago e fugiu.

Naquela noite, ela chorou a morte de seus familiares e amigos e abandonou seu nome de batismo (Lorian). Ela caminhou sozinha por algum tempo até descobrir que, se ela se juntasse a um grupo bom, os aventureiros a protegeriam. Até os 16 anos, Hannah pulou de um grupo para outro, sempre evitando formar laços. Ela foi noiva de vários aventureiros que conheceu em seu caminho, mas sempre escapava e buscava outro grupo.

Quando tinha 16 anos, Hannah foi confundida com uma de suas clones, uma terrorista famosa, e foi presa em Obei. Na prisão, conheceu Gnorr e Dycedarg. Com a ajuda da organização terrorista, eles fugiram da prisão.

Durante a fuga, Hannah conheceu Nulluh, um clérigo do conhecimento que passou a acompanhar o grupo. Nulluh era, na verdade, parte do ritual, e seu destino havia sido tocado para que ele se apaixonasse por Hannah e a protegesse com a sua vida, até que o ritual chegasse ao fim.

Juntos, os quatro formaram um grupo que ficou conhecido como “Os Flagelos de Arthron” e, posteriormente, apenas como “Flagelos”. O grupo protagonizou algumas das grandes atrocidades e genocídios da era. Foram culpados por um massacre em uma vila, onde Hannah adotou Calriu, uma criança marcada por Cal para ser um membro do Baralho, um exército de elite. O grupo seguiu para a próxima cidade, onde colocou fogo em uma vila de veraneio de um nobre, no episódio conhecido como “Massacre dos Vermantis”. O feito chamou a atenção de um demônio, Arthron, que passou a apadrinhar o grupo.

Os Flagelos seguiram para a próxima cidade, onde Hannah fez com que um jovem se apaixonasse por ela e se suicidasse. A cidade foi dizimada e o ato forjou uma adaga, um item mágico que tinha o poder de invocar Arthron ao mundo. O massacre ficou conhecido como “O Sacrifício de Erodo” e colocou o grupo na mira dos grandes heróis do mundo.

Foram presos por Liventain, um dragão de cristal, em seu covil, mas conseguiram escapar e fizeram um pacto de ajuda com este.

Algum tempo depois, o grupo protagonizou a “Noite do Infanticídio”. Na verdade, eles apenas não impediram que as crianças fossem mortas. Libertaram Razión, um solar caído, e roubaram o cetro que prendia este. Com o cetro, aprisionaram algumas almas, mas um erro de Dycedarg e Gnorr fez com que todas as almas fossem liberadas em um corpo, que dizimou meio continente antes de ser detido.

Gnorr morreu neste episódio e foi substituído por Caitiff, um meio celestial. Posteriormente, Hannah ajudou-o a recriar os “Druidas das Folhas Escuras”.

Hannah conheceu Eldad, que a sondava para ser uma Faernar. Eldad na verdade era aliado de Kukuro. Ele guiou-a a uma passagem para o Mundo das Fadas. Ela aceitou o convite para ser uma Faernar, dedicando-se à manipulação do Acaso em cada pessoa. Paralelamente, ela buscava entender sua origem e conhecer suas “irmãs”. Tornou-se muito próxima de Mina, que representava o conhecimento.

Quando o ritual ficou pronto, Nulluh foi preso. Hannah foi salvá-lo, mas quando chegou, ele já estava morto. Ela descobriu que Eldad a traíra e jurou vingança a ele e a Kukuro. Mina foi morta no ritual, e quando Hannah estava prestes a ser usada como cálice, Liventein a salvou. Hannah convidou-o a integrar os Faernares.

Antes da morte da magia, Hannah e Liventein ainda assombravam o mundo, dizimando vilas e cidades. Hannah também ajudava Caitiff com as missões dos Folhas Escuras. Ela nunca perdoara Eldad ou Kukuru, e passava uma existência triste relembrando Nulluh e Mina. Com a ajuda de Razion e Liventein, conseguiu capturar Eldad, mas sua vingança contra Kukuru nunca se concretizou.

Atualmente, ela parou de evocar as lembranças de Nulluh e Mina. Vive com Liventhein em uma dimensão paralela, e ainda espera sua vingança.

Hannah

Despertar da Magia luisamontenegro